Reprodução Instagram, DR

Tiago Aldeia foi o convidado deste sábado, 8 de agosto, do programa Alta Definição, da SIC. Numa conversa franca e intimista com Daniel Oliveira, o ator de Nazaré recordou um dos momentos mais duros da sua vida: a morte da mãe, na sequência de um cancro de mama.

"O facto de perder a minha mãe com 20 anos e de ter acompanhado uma doença prolongada durante a minha juventude fizeram-me ter alguma maturidade", começou por contar, frisando: "Nunca falei disto".

A dura luta da progenitora do ator contra o cancro durou cinco anos. Um processo que ficou marcado por vários altos e baixos, que ainda assim não faziam antever o pior cenário.

"Houve períodos em que se achava que estava tudo bem. Aí, respirava-se um bocadinho de alívio e vivia-se com uma maior leveza. Mas [havia] outros em que era um bocadinho complicado. Nunca acreditei que a fosse perder, efetivamente. Portanto, achava sempre que aquilo era uma coisa temporária. Até que aconteceu…", lamentou.

Tiago Aldeia confessou que foi tomado por um “sentimento de culpa". "Se calhar, se soubesse o que sei hoje, teria estado mais tempo com a minha mãe, a aproveitá-la. Se soubesse que iria acabar, em vez de ir jantar com os amigos, se calhar… Não é que não estivesse com ela, porque estava, evidentemente. Mas a vida é assim e as pessoas não sabem o que vai acontecer", referiu.

Reprodução Instagram, DR

O ator recordou ainda o dia em que a própria mãe lhe contou que tinha sido diagnosticada com uma doença oncológica. Na altura, o ator tinha 15 anos.

"Contou com as palavras possíveis que teve na altura. Lembro-me de ela chegar a casa, sentar-se no sofá com um exame na mão e dizer-me que tinha cancro da mama", recordou, acrescentando: "Apoiei e sempre acreditei que aquilo se fosse resolver".

“As últimas semanas foram as mais complicadas”, contou, referindo que pressentiu a morte da mãe antes de receber a triste notícia. “Eu estava no hospital, saí do quarto e a minha irmã também. Fomos ao refeitório. E eu estou no refeitório e tenho uma guinada, um aperto no peito, e o ‘bip’ toca. Foi isto”, lembrou.

Atualmente, passados 14 anos, Tiago Aldeia garante que tem uma estrela que o acompanha para todo o lado. “Sinto sempre que tenho uma estrela a acompanhar-me. Para quem acredita ou não, é uma defesa. Tenho uma profunda gratidão por tudo o que fez por mim”, rematou.

VEJA A ENTREVISTA COMPLETA NO VÍDEO ABAIXO: