Noel Vasquez

Numa altura em que as celebridades estão a pronunciar-se sobre o caso George Floyd, partilhando algumas das suas experiências, Melanie Brown, conhecida por Mel B, quis também deixar o seu testemunho enquanto mulher negra.

Numa carta aberta à revista Ok! Magazine, a cantora britânica falou sobre um episódio que lhe aconteceu quando as Spice Girls, grupo criado em 1994 do qual fez parte, estavam no auge da sua carreira. “Mesmo quando eu era uma Spice Girl mundialmente famosa, tocando num concerto para o príncipe Carlos e Nelson Mandela, na África do Sul, uma assistente de uma loja pediu-me para sair", contou, referindo-se ao ano de 1997.

"As outras meninas ficaram indignadas e começaram a gritar com a assistente. Não fiquei chocada, fiquei envergonhada", confessou. E acrescentou: "Fiquei com raiva e fiquei muito triste porque muitas pessoas no pós-Mandela na África do Sul ainda eram racistas."

Mel B contou relembrou ainda o abuso racista que sofreu na sua terra natal, em Leeds, na Inglaterra. A juri do programa 'America's Got Talent' disse que quando era ainda bebé, a sua mãe, Andrea, pedia ao pai, Martin, para a ir buscar quando encontrassem certas pessoas no parque porque pensava que ele não seria atacado se estivesse a segurar um bebé. Tanto a cantora, como o pai e a irmã, Danielle, não iam à cidade nos dias de jogos porque "não era seguro se se parecessem connosco".