O já polémico André Ventura fez umas declarações esta terça-feira, 3 de junho, que foram alvo de crítica e revolta por parte dos internautas. O político afirmou, na sua conta do Twitter, que os portugueses se deviam preparar porque "se o Chega vencer as eleições, ofender polícias, magistrados, ou guardas prisionais, vai dar mesmo prisão. E o Twitter deixará de ser a bandalheira que é, pelo menos em Portugal".

Quem acabou por também não conseguir deixar de criticar esta postura foi o músico Agir que rapidamente respondeu a André Ventura, afirmando: "Não sei como vai ser no Twitter, nem se vais ganhar. Pelo sim pelo não, aproveito para dizer enquanto posso que és uma M****" e acrescentou ainda: "Existem brancos na faculdade que matam a namorada, por isso, gente de merda há em todo o lado e é isso mesmo que um populista faz. Pega no medo das pessoas, generaliza-o, ganha votos. Tenho mais medo do Ventura do que qualquer minoria étnica".

Depois deste comentário ter tido um apoio massificado por parte dos internautas o líder do partido CHEGA não se deixou ficar, chegando mesmo a atacar pessoalmente Agir: "Meu caro, para acabar contigo nem sequer era preciso censura. Basta que os portugueses tenham um pouco de bom gosto musical e nunca mais temos de ouvir essa voz frouxa e esse corpo tatuado à gangster efeminado".

Sem surpresa, o músico voltou a reagir fazendo uma publicação na sua conta de Instagram onde afirmou: "Ok, não está péssimo péssimo, mas estava à espera de mais. Acho que precisa de um ghostwriter para os insultos que está a ficar fraquinho. ‬ ‪P.s.: És uma m****".