Diogo Morgado esteve na manhã desta terça-feira, 26 de maio, n'O Programa da Cristina. Numa conversa descontraída com Cristina Ferreira, o ator falou da sua passagem por Hollywood, recordou a juventude e falou ainda sobre a paternidade.

Pai de Santiago, de dez anos, e de Afonso, de quatro - fruto do casamento com Cátia Oliveira - Diogo Morgado sempre prezou pela discrição no que diz respeito à vida familiar.

"Há muita coisa da exposição pública que é como se fosse um elefante na sala que eu tento não reparar. Eu sei que ele existe e tento conviver com ele da melhor maneira, mas há coisas que me são fisicamente impossíveis e esta experiencia toda fez-me ver isso com clareza", referiu.

Em seguida, o ator contou como o instinto paternal despertou em si. "Nós temos estas coisas dos filmes, do dia, do segundo em que a criança nasce de: ‘Ai o que é isto? Ai que sentimento é este?’. Eu não senti nada disto. Aliás, foi uma grande chatice durante dois meses, uma grande seca, uma grande massada, no sentido em que eu estava à espera que a ficha caísse. 'Afinal onde está aquilo que toda a gente diz?'", recordou.

Diogo Morgado e os dois filhos

Diogo Morgado e os dois filhos

Instagram

"Demorou dois, três meses e lembro-me da primeira vez que isso aconteceu. O Santiago fez uma palhaçada qualquer…Ele sorriu, deu uma gargalhada para mim… E isso foi o início de uma relação de amor… Tu, de repente, tens um diploma de um curso que não tiraste. De repente, és pai", continuou.

"Cada criança é uma criança. Cada ser é um ser e, mais uma vez, acho que são as expectativas que destroem o ser humano. As que nós temos connosco mesmo e as que têm de nós", rematou.