Chris J Ratcliffe

Corria o ano de 2012 quando Johnny Depp assumiu o namoro com Amber Heard e dois anos depois casaram. Porém, o que parecia um conto de fadas acabou numa batalha judicial. Em 2016 os atores separaram-se e Amber acusou publicamente o ator de violência doméstica. Johnny sempre negou firmemente as acusações.

Desde então têm surgido várias versões polémicas sobre o relacionamento, desde Johnny ter enviado mensagens a um amigo a dizer que queria assassinar a ex-mulher, mas há também quem diga que foi Amber a agressora e que chegou inclusive a cortar um dedo ao ator. Recorde-se que a atriz acabou por retirar a queixa contra Johnny no ano seguinte, aceitando um acordo de 7 milhões de euros.

Porém, o pesadelo parece não ter terminado para Johnny Depp. O norte-americano de 56 anos está agora a processar o jornal The Sun, que o descreveu como um marido abusivo, devido às acusações de Amber, e deu a entender que ele bateu também em Vanessa Paradis e na ex-namorada Winona Ryder.

Segundo documentos do processo, a que o The Mirror teve acesso, as ex-companheiras saíram em defesa do ator e deram o seu testemunho em tribunal. "Conheço o Johnny há mais de 25 anos. Vivemos juntos durante 14 anos e criámos dois filhos", começou por dizer Vanessa, mãe dos dois filhos do cantor, Lily-Rose Depp e Jack Depp.

"Durante todos estes anos eu conheço Johnny como uma pessoa e um pai gentil, atencioso, generoso e não violento. Ele nunca foi violento ou abusivo comigo", acrescentou.

Winona Ryder também alegou o mesmo que Vanessa. "Não consigo entender essas acusações [de Amber]. Ele nunca, nunca foi violento comigo. Nunca, nunca abusou de mim", afirmou.

O início do julgamento está previsto para julho em Londres, em Inglaterra.