A rainha Isabel II de Inglaterra

A rainha Isabel II de Inglaterra

Getty Images

Devido à triste fase que o mundo está a passar, Isabel II e o marido, o princípe Filipe, estão isolados no Castelo de Windsor desde 19 de março e, segundo especialistas, não voltarão a sair para compromissos reais tão cedo.

De acordo com um biógrafo da realeza, Andrew Morton, a rainha de Inglaterra, cuja agenda não deve ser retomada até o outono, pode nunca mais retomar às suas tarefas regulares e provavelmente será vista em televisão ou em vídeos em vez de em público, pelo menos até surgir uma vacina.

"É terrivelmente triste, mas não consigo ver como a rainha pode retomar ao seu trabalho habitual. A Covid-19 não vai desaparecer em breve e estará connosco por meses, se não anos. Seria muito arriscado para a rainha começar a conhecer pessoas regularmente", disse Andrew ao The Sun.

O escritor, que escreveu em 1992 'Diana: Her True Story', acrescentou que, embora a monarca goste de estar em contato com o público, essas reuniões representaria um enorme risco para si e para o marido, uma vez que Isabel II tem 94 anos e o príncipe completará 99 anos no próximo mês.

Um porta-voz do Palácio de Buckingham disse que a rainha continua a estar em contato com o primeiro-ministro por telefone e a fazer vídeo-chamadas com a sua família. A residência oficial de Isabel II está temporariamente fechada para receber visitas durante o verão pela primeira vez em 27 anos.

O último compromisso real da monarca foi também a última aparição de Harry e Meghan Markle como membros seniores da família real, em março.

"A rainha não fará nada que seja contrário aos conselhos dados às pessoas na sua categoria [de idade] e seguirá todos os conselhos apropriados. Ela gostaria de ser vista como sendo responsável pelas suas ações", explicou uma fonte ao jornal.