Rita Pereira

Rita Pereira

Fotografia: Tiago Caramujo

Recentemente, Rita Pereira deixou um apelo nas redes sociais para sensibilizar os portugueses sobre a fome em Cabo Verde, anunciando, desta forma, um fundo criado pelo cantor cabo-verdiano Nelson Freitas para ajudar os mais carenciados.

“Há crianças a morrer de fome, mesmo aqui ao nosso lado, num país para onde os portugueses vão de férias, ser felizes e aproveitarem aquelas praias incríveis. Eu sei que há muitas pessoas em Portugal também a passar por isto, mas também há muitos cabo-verdianos a viver aqui. Se vocês puderem ajudar podemos fazer a diferença”, referiu num instastory.

Porém, as palavras da atriz não caíram bem perante Abraão Vicente, ministro da Cultura e das Indústrias Criativas daquele país. O político partilhou uma publicação nas redes sociais onde esclareceu que “ninguém está a morrer de fome em Cabo Verde” e que a fome “é um tema muito sensível para os cabo-verdianos”, pedindo que não se fale nelede forma tão superficial”, desmentindo assim as declarações de Rita Pereira.

Estou muito sensibilizado com o seu vídeo e a sua preocupação com Cabo Verde. Mas quero que saiba que ninguém está a morrer de fome em Cabo Verde” começou por escrever.

>> Rita Pereira escolhe acessório da mesma criadora da mediática coroa de Cristina Ferreira <<

Cabo Verde, ao longo da sua história, passou, de facto, por vários ciclos de fome e morte. Ficamos marcados pela perda e pelo desaparecimento de famílias e gerações. Da segunda metade do século XVIII (18) aos anos 50 do século XX (20) calcula-se, por alto, que terão morrido mais de 120 mil cabo-verdianos de Fome. Entre os anos de 1854-56 cerca de 25% da população do arquipélago morreu, também devido à fome. As fomes de 1941-43 e 1947-48, mataram cerca de 45.000 pessoas. Entre 1946-48, a ilha de Santiago perdeu 65% de sua população quer pela fome, quer pela emigração em massa, nomeadamente para S. Tomé. Posto isso, e peço ajuda ao nosso conterrâneo Nelson Freitas (que com certeza tinha as melhores das intenções), que lhe passe a seguinte mensagem: é certo que ainda temos pobreza, temos famílias que precisam de auxilio do estado e da comunidade mas podemos dizer taxativamente que após a independência de Cabo Verde (1975), graças a um esforço coletivo do nosso povo, dos nossos emigrantes e dos nossos parceiros internacionais conseguimos erradicar essa fome que mata crianças e velhos e que deixa cicatrizes na pela da nação”, continuou.

Por fim, o ministro cabo-verdiano lembrou a pandemia de Covid-19 que o mundo atravessa e deixou um pedido à atriz.Sem mais, envio-lhe um abraço em nome de todos os cabo-verdianos e peço-lhe que retire o vídeo onde diz que há crianças a morrer de fome em Cabo Verde. Cuide-se, use máscaras ao sair de casa e mais uma vez obrigado pela sua preocupação”, pode ler-se.