Foi numa entrevista reveladora, que concedeu a Fátima Lopes, que Inês Herédia recordou um período conturbado da sua vida: lidar com a sua homossexualidade em segredo.

"O preconceito era meu. Eu não queria aquilo, achava que estava tudo errado, que ia para o inferno. Ia contra tudo o que eu sempre quis. Eu queria ser mãe, olhava à volta e queria ter uma família. Não fazia sentido ter uma mulher ao meu lado", explica a atriz sobre o que a demoveu de contar a familiares a amigos mais próximos.

Inês Herédia e a rotina com os gémeos: "Eu e Gabi somos bastante organizadas"

A atriz afirma que crescer no Estoril não ajudou. "Cresci num sítio em que isto não existe. É muito difícil as pessoas perceberem o que é viver 18 anos sem saber que qualquer coisa existe. Eu sabia que havia qualquer coisa estranha comigo, mas não conseguia pôr uma etiqueta naquilo. Vivia na solidão", conta.

A reação dos pais

Segundo a atriz, os pais foram praticamente os últimos a saber. Inês Herédia foi educada no seio de uma família católica e conservadora. "Achei que o meu pai ia ser a pessoa mais difícil. Ele disse-me: 'Já passei por tanta coisa na vida, isto para mim não é um problema'. E a minha mãe ficou chateada por não lhe ter contado, porque sempre partilhámos tudo. A reação dos meus pais foi de amor", garantiu..

Inês Herédia é casada com Gabriela Sobral e em dezembro de 2018, foi mãe dos gémeos Tomás e Luís.