Melânia Gomes deu esta quinta-feira a primeira entrevista após anunciar a gravidez, que está a viver com grande alegria. Durante a conversa com Júlia Pinheiro, houve espaço para recordar uma infância dramática, marcada por violência, rapto, fugas e drogas.

Falar da gravidez levou a falar do marido, Mário Redondo, com quem está há mais de dez anos. Uma história de amor que começou de forma inesperada e até com alguma implicância: “Ele foi presunçoso… foi arrogante. Achava eu. Agora que o conheço sei que não”. Melânia conta que não simpatizou com Mário quando se cruzaram pela primeira vez – numa peça de teatro na qual participava também Marina Mota e que foi quem convidou o ator e encenador a participar. Recordando o episódio, a futura mamã diz entre risos que “se não fosse a Marina Mota, eu hoje não estava grávida!”. Tudo mudou quando, inesperadamente, Melânia deu um beijo na boca do, agora, marido, nos corredores do teatro. A partir daí, a conversa foi surgindo, a convivência intensificou-se e acabaram por conhecer o melhor um do outro. De lá para cá passaram dez anos, mas sempre a dizer ‘isto não dura mais um ano’, ‘isto para o ano…’, ‘isto deve estar quase a acabar’, sempre com essa postura. Sem saber exatamente quando é que se começou porque não sou muito de datas e sempre muito a brincar, sempre uma relação muito leve (…) sempre com esta boa disposição e sempre a dançarmos todos os dias. E agora já não se fala tanto de ‘isto para o ano vai acabar’”, conta a atriz de 34 anos.

Conheça esta história de amor nas palavras da própria: