Gwyneth Paltrow

Gwyneth Paltrow

Getty Images

Gwyneth Paltrow foi uma das primeiras atrizes a acusar publicamente Harvey Weinstein de assédio sexual e agora, em entrevista ao programa de rádio de Howard Stern, conta como o então namorado, Brad Pitt, a defendeu do produtor. “Se voltas a fazê-la sentir-se desconfortável novamente, eu mato-te”, terá ameaçado o ator durante a apresentação de Hamlet na Broadway, em 1995, e as suas palavras terão sido suficientes para travar os avanços do produtor. “Na altura, eu era muito nova e o Harvey nunca mais teve comportamentos inapropriados comigo. Foi quase como encostá-lo à parede. Foi tão bom, porque o que ele fez foi usar a sua fama e poder para me proteger, numa altura em que eu ainda não tinha fama ou poder”, afirmou.

Gwyneth Paltrow e Brad Pitt

Gwyneth Paltrow e Brad Pitt

Ron Galella, Ltd.

Gwyneth Paltrow tinha 22 anos quando foi contrata por Harvey Weinstein para o filme Emma e terá sido ainda antes do início das gravações que o produtor assediou a atriz. De acordo com o The New York Times, Weinstein convidou Paltrow para um encontro de trabalho num hotel de Beverly Hills, que terminou com este a trocar-lhe e a sugerir que fizessem massagens um ao outro. “Foi estranho. Eu estava sozinha no quarto com ele. Aconteceu de forma inesperada. Fui apanhada de surpresa e fiquei em choque”, confessou a atriz, lembrando que depois do sucedido recebeu um telefonema intimidante do produtor: “Ele gritou comigo durante algum tempo. Pensei mesmo que ia despedir-me. Foi muito violento”.

Harvey Weinstein

Harvey Weinstein

Getty Images

Desde outubro de 2017, Harvey Weinstein já foi acusado de assédio sexual por mais de 60 mulheres. A sua carreira está completamente arruinada, já teve de abandonar a sua empresa de cinema independente e foi expulso do sindicato de produtores de Hollywood. Entretanto, o seu casamento com a estilista Georgina Chapman também terminou.