Nos últimos meses, a indústria de Hollywood foi fortemente abalada pela denúncia de vários casos de assédio sexual. E, desde aí, são as várias celebridades que têm mostrado o seu apoio a campanhas contra os abusos sexuais no trabalho. Contudo, a atriz Catherine Deneuve lançou a polémica ao defender o direito dos homens “importunarem as mulheres”. O que levou Inês Herédia a dirigir uma carta aberta à atriz francesa, de 74 anos, onde revelou ter sido vítima de assédio sexual aos dez anos de idade.

“A situação durou uns três meses, e eu, uma criança de 10 anos que só pensava em jogar ténis e em fazer ginástica rítmica, fui confrontada pela primeira vez com o sexo", começou por contar . "Demorei três meses até ganhar coragem para contar aos meus pais. Sabe porquê, querida Catherine? Porque, na minha cabeça inocente, achava que a culpa era minha e tinha uma vergonha GIGANTE.”, escreveu a atriz de ‘Paixão’, num texto intitulado Querida Deneuve e publicado na plataforma ‘Capazes’.

"Não fui violada, fui assediada. Percebe agora por que é que é urgente falar do assédio numa voz amplificada e em uníssono? Porque provavelmente, se naquela altura o assédio não fosse um tema menor, eu tinha contado imediatamente aos meus pais, não tinha vivido metade do que vivi e aquele doente tinha sido logo afastado, acrescentou Inês, lembrando ainda que anos mais tarde o homem em questão acabou por ser preso.

Pode ler o texto completo aqui.