Há mais de 20 anos que Dylan Farrow acusa o pai, o realizador de cinema Woody Allen, de abusos sexuais quando tinha apenas 7 anos. Numa prévia de uma entrevista à CBS, Dylan dá a cara e diz sentir-se "ignorada".

A entrevista completa será emitida amanhã na CBS, mas uma promo do canal já está reacender a polémica. "Porque não hei-de querer derrubá-lo?, Porque não devo estar zangada, magoada ou sentir uma forma de revolta, depois de todos estes anos a ser ignorada, desacreditada e colocada de lado?", questiona a filha adotiva do realizador.

No meio da onda de denúncias de abusos sexuais em Hollywood, e depois do escândalo de Weinstein, o nome de Woody Allen regressa à tona, mas sem as repercussões semelhantes às do produtor.

"Tenho esperança que alguém acredite em mim, em vez de apenas escutar", confessa Dylan. Só nas últimas semanas várias personalidades estenderam o seu apoio Dylan: Shonda Rimes, Natalie Portman e Reese Witherspoon.

Greta Gerwig (realizadora de "Ladybird") admitiu arrepender-se de trabalhar com o realizador e Rebecca Hall e Timothée Chalamet chegaram mesmo a devolver os seus salários dos projetos em participaram.

Alec Baldwin defendeu recentemente o realizador. Recorde-se que Woody Allen sempre refutou as acusações e nunca foi acusado judicialmente.