Nove anos depois, Luciana Abreu, de 32 anos, voltou ao ‘Alta Definição’, após a primeira entrevista a Daniel Oliveira no programa da SIC. Durante a conversa deste sábado, a atriz e cantora falou pela primeira vez em detalhe sobre o nascimento das gémeas e sobre o drama e o sofrimento vivido pela família nos últimos meses.

“Tive uma gravidez muito desejada, pensávamos que era um menino, o Daniel já desconfiava que eu estava grávida” começou por revelar da história que se desenrolou num ‘pesadelo’.

“A minha gravidez acontece uma em 10 mil. Tem apenas um cordão umbilical e a Valentine estava a alimentar a irmã”.

“Tive uma gravidez muito conturbada, logo desde o início começaram as más disposições. Tive cinco crises renais, a primeira delas num comboio intercidades, três horas presa a pensar que as ia perder” revelou Luciana que na altura estava longe de imaginar que na verdade sofria do síndrome de ‘Transfusão feto-fetal. “A minha gravidez acontece uma em 10 mil. Tem apenas um cordão umbilical e a Valentine estava a alimentar a irmã”.

"Eu não ia separar as minhas filhas. Então a dada altura podíamos morrer as três, foi um momento muito dramático, muito violento para toda a família"

Já no hospital para ter as meninas, Luciana continuava a viver num impasse: “Fui direta para o Hospital de Cascais...deram-me 24h para as ter (...) Havia a possibilidade de eu ir para Coimbra porque não havia duas incubadoras, nem no hospital de Cascais nem na Maternidade Alfredo da Costa, mas eu não ia separar as minhas filhas, então a dada altura podíamos morrer as três, foi um momento muito dramático, muito violento para toda a família, o Daniel completamente desnorteado sem saber o que fazer e, por obra de Deus, ligam-me a dizer que na Maternidade Alfredo da Costa ficaram vagas duas incubadoras.” contou entre lágrimas sobre o dia do parto das gémeas Amoor e Valentine.

Durante a conversa com Daniel Oliveira, que se manteve atento ao doloroso relato de Luciana, esta revelou também o momento em que ganhou forças para continuar a lutar durante o parto: “Eu pensava ‘Caramba, estas meninas escolheram-me para ser mãe delas’, portanto eu tenho que aguentar, nem que para isso eu tenha que fazer outra caminhada, mas era a minha missão naquela sala.”

"Disseram-me no dia em que elas tiveram alta que eu era uma mãe de muita sorte porque nem eles me conseguiam explicar como é que elas se agarraram tanto à vida. Foi um milagre”

Valentine e Amoor nasceram prematuras, com apenas 29 semanas, no dia 23 de Dezembro e Luciana acredita que "foi um milagre".

“Eu tenho-as e não posso pegar nelas, não posso tocar nelas, foi a minha maior dor (...) Disseram-me no dia em que elas tiveram alta, quando fizeram dois meses, que eu era uma mãe de muita sorte, porque nem eles me conseguiam explicar como é que elas se agarraram tanto à vida. Foi um milagre”.

Veja aqui a entrevista completa no "Alta Definição"!