Dimitrios Kambouris

O movimento “Time’s Up” continua a trazer a público denúncias de assédio e abuso sexual nas industrias da moda e do entretenimento. A mais recente revelação surge por parte da modelo Miranda Vee, de 23 anos, que acusa Mohamed Hadid, 69 anos, de a ter violado. O episódio terá acontecido na sede da Guess e por intermédio de Paul Marciano, designer da marca e recentemente acusado por Kate Upton de “abusar sexual e emocionalmente de mulheres”.

A denúncia de Kate Upton motivou a denúncia agora feita por Miranda Vee, que partilhou, no Instagram, uma foto da publicação de Kate e acrescentou um texto onde relata a sua experiência: “Obrigada Kate Upton, é hora de pessoas como Paul Marciano e Mohamed Hadid serem expostos por quilo que realmente são! Eu encontrei-me com o Paul no seu escritório da Gess, que é na verdade um apartamento onde ele me assediou sexualmente e depois me passou ao seu amigo Mohamen, que me ia encontrar para “um café”. Eu pensei que era um encontro profissional, mas era só eu, ele e champanhe e ele violou-me num apartamento (…). No ano passado, quando tentei falar sobre isto, eles descobriram e fizeram-me assinar um acordo de não-divulgação. Eu só concordei em assinar porque o Paul me ameaçou e disse que me faria desaparecer se eu alguma vez dissesse alguma coisa. Porque é que nós temos de ficar caladas quando eles têm o poder?”. A modelo termina fazendo referência ao movimento “Time’s Up” e “Me too”.

Mohamed Hadid ainda não se pronunciou publicamente sobre a acusação, mas tem sido alvo de duras críticas na sua página de Instagram.

Recorde-se que os movimentos “Time’s Up” e “Me too” já encorajaram várias figuras públicas a denunciar casos de assédio e abuso sexual por parte de poderosos nomes nas industrias da moda e entretenimento, como por exemplo Harvey Weinstein, Paul Haggis, James Franco, Woody Allen, Aziz Ansari ou David Copperfield.