Jacopo Raule

Rebecca Hall vai ser protagonista do próximo filme de Woody Allen, “Rainy Day In New York”, mas está arrependida de ter aceitado o trabalho e por isso doa o salário que recebeu com o filme para o fundo de apoio ao “Time’s Up”, o movimento criado pelas atrizes de Hollywood para combater o assédio sexual no meio.

A atriz anglo-americana fez o anúncio nas suas redes sociais, alegando ter tomado a decisão após as declarações da filha adotiva de Allen, Dylan Farrow, que acusa o pai de abuso quando ela tinha sete anos.

Dylan já tinha revelado os abusos em 2004, mas as investigações levadas a cabo concluíram que não havia provas que confirmassem o crime e Allen, que sempre negou tudo, saiu impune. Agora, as denúncias contra Harvey Weinstein e o avanço do movimento "Time's Up" fizeram renascer as acusações de Farrow contra Woody Allen, especialmente porque um dos principais denunciadores de Weinstein foi Ronan Farrow, irmão de Dylan e filho de Allen.

Na publicação onde anuncia a doação do salário, Rebecca Hall diz que “após ler e reler as declarações de Dylan Farrow, (…) vejo que as minhas ações fizeram outra mulher sentir-se silenciada e repudiada. Isso não é algo que me deixe tranquila e estou profundamente arrependida. Arrependo-me dessa decisão e não faria mesmo hoje”. Sobre a doação, Hall sublinha ser “um pequeno gesto e não pretendo que chegue perto de uma compensação, mas doei o meu salário para o “Time’s Up”. Também assinei [o manifesto], vou continuar a doar e pretendo ser parte desse movimento e trabalhar nele em busca de mudança não só em Hollywood, mas em todos os lugares".